Artigo
ARTIGO
As razões por trás do discurso anti-agro
Sérgio Turra* - 09:34 - 19/01/2022
Os ataques recorrentes ao agronegócio brasileiro - por desinformação ou má fé de quem os comete - não podem ficar sem resposta. Calar, seria consentir com os absurdos que temos acompanhado na mídia, e até no Parlamento Gaúcho, que cumpre o importante papel de ser porta-voz de um Estado que tem quase 40% do seu PIB impulsionado pelo setor primário.

As acusações são sempre as mesmas. Há os que dizem que o Brasil é o país que mais utiliza “agrotóxicos”. Existem também os que associam o extraordinário crescimento da produção agrícola nos últimos 20 anos à derrubada de florestas.  É bom que se diga que estudos da Embrapa demonstram que as supersafras são fruto do crescimento exponencial da produtividade, ou seja, da capacidade de colher mais em uma mesma área, graças ao uso de tecnologia.  

A verdade é que a agricultura ocupa menos de 10% do território nacional. As áreas de matas preservadas representam mais do que o dobro da média mundial. O Brasil é um dos países com maior cobertura vegetal nativa do planeta, com índices superiores aos dos Estados Unidos e Canadá, juntos. Quem mais, no mundo contemporâneo, pode exibir números como esses? 

O DNA vocacional do país é o agro. Somos respeitados como superpotência neste tema. A inovação permitiu resultados pioneiros em clonagem de animais, transgenia, agricultura de precisão, automação de máquinas agrícolas e uso de drones, já incorporados na rotina das propriedades. Quem critica sem fundamento só pode estar servindo a um mesquinho projeto político de assalto ao poder. 

O agronegócio salvou o Brasil da insolvência na última grande recessão vivida pelo país antes da pandemia - e isso se repetiu agora, durante a crise sanitária mundial. O campo sustentou saldos positivos na balança comercial e não foi por acaso. Na história, há pouco mais de duas décadas, o Brasil colhia 70 milhões de toneladas de grãos. Nesta safra, estamos no limiar das 300 milhões de toneladas. Não há argumentos contra um setor que avança a passos largos e alimenta o mundo.

 
*Deputado Estadual
© Agência de Notícias
Reprodução autorizada mediante citação da Agência de Notícias ALRS.
© Agência de Notícias
As matérias assinadas pelos partidos políticos são de inteira responsabilidade dos coordenadores de imprensa das bancadas da Assembleia Legislativa. A Agência de Notícias não responde pelo conteúdo das mesmas.
Versão de Impressão

Assembleia Legislativa do Estado do Rio Grande do Sul - Praça Marechal Deodoro, 101 - Porto Alegre/RS - Cep 90010-300 - PABX (51) 3210.2000
Horário de atendimento: das 08:30 às 18:30


O conteúdo deste site é de responsabilidade exclusiva da assessoria de imprensa do gabinete do(a) Deputado(a)